Arquivo para novembro 1, 2010

Deckayo

Posted in Fisiologia Kayon with tags , , on novembro 1, 2010 by dicksondaymoon

A 6º Lei da Cortina, correspondente a 3º Lua (Karmannius), é clara em sua observação:

“…A CRIA, Aquilo que gerarás, só o será feito perante decisão superior. Sendo tal ato de responsabilidade da Tríade. Sob o contrário não restará um…”

Mordidas ou arranhões não convertem um humano em vampiro, pelo contrário, dependendo da quantidade de saliva misturada a este sangue e da idade do praticante, tal ato pode ser letal ou gerar seqüelas graves no humano.

A fisiologia humana é digna de um antagonismo extremo no que se refere a comparações com a raça kayon. De um lado, seu sangue possui a capacidade de retardar os efeitos da peste de forma milagrosa. Do outro, há uma sensibilidade absurda sobre a maioria dos antígenos ditados pelo organismo kayon. Ou seja, proteínas aliens como a liso-neutrina (semelhante a lisoenzima) presente na saliva destes seres pode levar o organismo humano a infecções severas ou até a choques anafiláticos dependendo da sensibilidade.

O ato de conversão de um humano a um kayon, chamado de filho das sombras, é um ato de tortura ao qual se submetem somente os tolos ou vislumbrados com o que posso existir depois. Em 40% dos casos pode haver morte ou demência completa pelos efeitos do sangue alienígena no organismo. O sucesso só é obtido a partir de uma série de padrões, físicos e psíquicos, que são analisados e avaliados. E há a necessidade de uma substituição do sangue na proporção mínima de dois terços e mesmo assim não há garantias totais.

O processo é demorado, lento e agonizante, podendo levar de três a nove meses para ocorrer em estágios favoráveis no que se refere a mudanças significativas. Muitas não agüentam sucumbindo à loucura total ou ao suicídio.

A raça kayon tem recorrido ao chamado Deckayo em vários momentos de sua história pela terra, tanto para recrutar humanos de potencial elevado como também para proteger elementos de importância variada no que se refere a complicações de saúde.

Mas é um ato somente realizado com autorização da chamada Tríade (Legislativo) e acompanhado de perto por especialista da Kayamatra. O que mesmo assim não traz garantia alguma para os que se aventuram ou são escolhidos para tamanho desafio.

 

Dyreach

Posted in Fisiologia Kayon with tags , , on novembro 1, 2010 by dicksondaymoon

O CRIME DO SANGUE

“O sangue de seu semelhante somente a ele pertence, ao tomá-lo abdicará da proteção dos seus e terá seu nome na lâmina de um kayaman, em nossas leis tal transgressão se paga com a vida” Dameziis voires

 

O composto batizado de Anti-RC, que todo kayon é obrigado a administrar intravenosamente em seu organismo a cada intervalo de no máximo 36 horas, possui reações adversas ainda pouco conhecidas, ou pelo menos difundidas por aquele que possam dominar tais conhecimentos.

E ao contrário do mito, onde a ingestão do sangue de outro vampiro o leva a um patamar acima na hierarquia de domínios, a realidade fisiológica comprova quimicamente o contrário, pelo menos em 90% dos casos registrados.

A mistura de duas tipagens sanguíneas infectas pela peste e com anti-Rc presentes em seu plasma parecem neutralizar várias enzimas da fisiologia destes seres enquanto potencializa ou modifica a ação de outras dezenas. Resultando em alucinações, contínuas ou temporárias, como a um potente alcalóide; perturbações gastrointestinais; tetania muscular e desequilíbrios neurológicos.

Vários estudos conclusivos realizados nos laboratórios internos da Nova Escócia citam exemplos onde o indivíduo passou a desenvolver uma dependência do ato como a uma dependência química.

São raríssimos os casos onde não ocorrera nenhuma reação adversa do organismo, assim como os casos em que algum efeito positivo em potencial sobre os domínios tenha sido efetivo.

O ato denominado Dyreach, onde há a mistura do sangue kayon infecto ainda é um risco, tanto para quem toma quanto para quem o “doa”, e continuará sendo um crime contra as Leis da Cortina.